17/03/2010

CRAVO

O cravo vermelho tornou-se símbolo da Revolução de Abril de 1974. Logo ao amanhecer começaram o povo a juntar-se nas ruas, solidário com os soldados revoltosos. Entretanto,(existem várias versões da mesma história) uma florista, que levava cravos para um hotel, terá dado um cravo a um soldado, que colocam no cano da espingarda. Outros o imitaram, enfiando cravos vermelhos nos canos das suas armas.

5 comentários:

Luis Miguel disse...

Boa tarde !

Passo para o cumprimentar e dar-lhe os parabéns pelo seu soberbo blog.

Saúde,


Luis

La abuela frescotona disse...

Estimado Antonio, me cuesta mucho entender tu bello idioma, tan sonoro, de tantos poetas, aun asi logro entender el conjunto de palabras y su significado, puede ser la llamada revolución de los claveles?
Gracias amigo por compartir tan bella esperiencia

Amapola disse...

Boa noite, Antonio.
Essa história do cravo... é esquisito uma coisa tão bela,tão romântica, servir de sinal numa história antagônica.
Essa música que está tocando agora é muito bonita.

Um grande abraço.

Amapola disse...

Boa noite, Antonio.
Bom fim de semana para você, e toda a sua família.

Um grande abraço.

Lu disse...

Ola Antonio,boa noite....
gostei de receber tua visita em blog,adorei visitar o teu também,aliás já conhecia um pouco,
tudo que se relaciona com a Guiné Bissau me interessa ,muito são tantas histórias que vejo ,que acabei por me dedicar a estes blogs,tenha uma boa noite ,
muita paz pra tú e tua família.
Abraços aqui da Bahia!!!